Retomada após a COVID-19: como fazer a transição para o novo normal Saiba mais aqui arrow-right

Como a mobilidade mundial mudou em 2020? O Relatório Global Moovit sobre Transporte Público tem a resposta!

Publicado em: Janeiro 26, 2021

2020 foi um ano turbulento. Agora é o momento para autoridades, operadores e analistas avaliarem o número de passageiros que utiliza os serviços, quais os principais desafios e as necessidades para definir onde os esforços de recuperação e otimização devem ser focados. Estamos felizes em oferecer fazer parte da solução:

O Relatório Global Moovit sobre Transporte Público 2020 está aqui com todos os seus dados detalhados de transporte público.

O nosso relatório, aberto e acessível a todos, ajuda a responder a pergunta mais importante: estamos focando nos problemas certos – e, se sim, estamos resolvendo-os de forma eficiente e sustentável?

Para obter os dados mais precisos, analisamos dezenas de milhões de viagens e dados, junto com pesquisas com usuários do Moovit em mais de 100 cidades em 28 países. Os insights de mobilidade apontados no Relatório Global mostram um quadro vivo das tendências do transporte público, incluindo categorias novas sobre como a COVID-19 afetou o número de passageiros e a demanda por pagamentos no smartphone.

Acesse o Relatório Global

Descobrimos que mesmo com a COVID-19 ainda impactando muitas partes do mundo, quem mais precisa de transporte público continuará usando sempre que possível. Uma das principais conclusões é: o transporte público continua sendo a espinha dorsal de nossa sociedade e precisamos garantir sua sobrevivência.

Algumas conclusões do relatório:

  • O Rio de Janeiro tem o terceiro maior tempo médio de viagem do mundo, com 67 min, pelo segundo ano. 11% dos passageiros cariocas gastam mais de 2h nos trajetos;
  • São Paulo é a segunda cidade no mundo com maior proporção de viagens de 1 a 2 horas: 35%;
  • 39% dos brasilienses percorrem mais de 12 km em uma viagem, o maior índice do relatório;
  • 65% dos passageiros de Recife esperam mais de 20 minutos em uma viagem. Salvador vem em seguida, com 58%. São os dois maiores índices na categoria;
  • 34% das viagens em Curitiba envolvem pelo menos três baldeações, acima de capitais europeias como Berlim e Paris;
  • 36% dos passageiros passaram a usar menos o transporte público desde o início da pandemia de COVID-19;
  • A micromobilidade se tornou mais popular em todas as cidades brasileiras do estudo. O uso diário cresceu de 8,5% para 14%;
  • 46% dos americanos querem usar métodos de pagamento no smartphone no transporte de massa;
  • O deslocamento médio diário para os usuários de transporte público do Reino Unido caiu 24% em 2020, com média de 6,5 km por viagem;
  • A Austrália lidou bem com a COVID-19 em comparação com outros países, mas 53% dos australianos dizem que a frequência com que usam o transporte caiu;
  • Os moradores de Los Angeles têm o pior tempos de espera em toda a América do Norte: 30% dos moradores esperam nas paradas e estações por mais de 20 minutos;
  • Quem vive em Jacarta tem o maior tempo de viagem médio em transporte público do mundo, enquanto os habitantes de Burgos, na Espanha, têm o menor tempo;
  • Os italianos estão adotando a micromobilidade: 55% dos usuários da micromobilidade a utilizam para chegar diretamente ao seu destino, enquanto os outros combinam a micromobilidade com transporte público.

Pronto para conferir os dados por conta própria?

Comece a explorar!

Leia o release sobre o relatório aqui.

Voltar